Jungle Casa Decor Oriental Vasos e Móveis
03/04/2024

Japamala

Colar e Pulseira Japamala

A Japamala ou Mala (sânscrito: Mala, significando guirlanda) é uma série de fio de contas de oração comumente usadas por Hindus, Budistas, Jainistas e alguns Sikhs para a prática espiritual conhecida em Sânscrito como Japa. Geralmente é feito de 108 contas, embora outros números também sejam usados como 54 ou 27 contas. Japamalas de madeira feitos artesanalmente a mão um a um com Meru são usados para manter a contagem enquanto recitam, cantam ou repetem mentalmente um mantra ou um nó.

Japa em Sânscrito é a repetição meditativa de um mantra ou de um nome uma prática encontrada no Budismo, Hinduísmo, Jainismo e Sikhismo.

O mantra ou nome pode ser falado suavemente e em baixo tom o suficiente para o praticante ouvir ou pode ser falado dentro da mente do recitador. O Japamala de madeira, semente ou pedra natural pode ser realizado sentado em uma postura de meditação com uma base bem estável e confortável ou até mesmo durante a realização de outras atividades como em grupos por exemplo.

Etimologia

A palavra Sânscrita Japa é derivada da raiz jap, significando "pronunciar em voz baixa, repetir internamente, murmurar". Ele pode ser definido como nascimento, morte e reencarnação e como para libertar-se das más ações.

Monier Williams afirma que o termo aparece na literatura Védica como no Brâmana Aitareya (Rigveda) e no Shatapatha Brahmana (Yajurveda), o termo significa murmurar, sussurrar ou murmurar passagens de escrituras milenares e ou seus encantos. Muitas vezes é o canto repetitivo de um verso ou mantra às vezes contado com a ajuda de um rosário que é chamado Japa-Mala. Uma palavra relacionada Japana aparece no 12º livro do Mahabharata onde orações murmurantes são descritas como uma forma de oferenda religiosa.

O conceito de Japa também é encontrado nos primeiros textos Budistas e é muito comum na literatura do Budismo Tibetano.

De acordo com Sábio Patanjali (400 CE) dos sutras para Yoga, Japa não é a repetição da palavra ou frase mas sim de contemplação sobre o significado do mantra, esta definição por vezes persiste entre as diferentes fontes.

Variedades de Japamala

É mais comum vermos Japa Mala ou Japa constituídos de 108 contas mais a conta chamada de Meru, que geralmente são usados no pescoço também encontramos o Japamala de 54 contas e o de 27 contas que são usados no pulso como pulseira.

Repetição Mental

Um método de Japa é a repetição mental de um mantra como um método recomendado por Eknath Easwaran um dos tradutores do Bhagavad Gita.

Japamalas Para Decoração

Contas: Grânulos de Oração

Grânulos de oração são usados por membros de várias tradições religiosas, como Hinduísmo, Budismo, Cristianismo, Islamismo, Sikhismo e a Fé Bahá'í para marcar as repetições de orações, cânticos ou devoções como o rosário da Bem Aventurada Virgem Maria no Catolicismo e no Dhikr lembrança de Deus no Islã.

Grânulos de oração Hindu

Japamala Semente RudrakshaEm algumas formas de Japa as repetições são contadas usando um colar de contas conhecido como Japa Mala. Muitos tipos diferentes de materiais são usados para o Japa, o número de contas no Mala Japa é geralmente 108, não é incomum as pessoas usarem contas Japonesas no pescoço embora alguns praticantes prefiram carregá-las em um saco de contas para mantê-las limpas como o porta-Japamala.

Método Tibetano Mindfulness

Os Budistas Tibetanos incluem a meditação Japa como uma grande parte de suas práticas meditativas. No Tibet afirma Harvey Alper, as rodas de oração são instrumentos para o Japa, a prática do nembutsu (mindfulness) no Budismo da Terra Pura é análoga ao Japa.

Análogos em Outras Tradições

Algumas formas de oração Católica que envolvam a repetição de orações, como o uso do rosário ou um dos vários terços são semelhantes mas não "Japa" porque o objetivo é diferente. Métodos mentais de repetidas preces curtas muito semelhantes ao Japa também são usados nas tradições Cristãs mais notavelmente a prática de repetir a oração de Jesus encontrada na Igreja Ortodoxa Oriental, a prática de Dhikr por Sufis é semelhante ao Japa.

Objetivos

Japamala Pedra Natural O objetivo declarado ou meta de Japa pode variar muito dependendo do mantra envolvido e da filosofia religiosa do praticante, tanto nas tradições Budistas como nas Hindus os mantras podem ser dados aos aspirantes pelo seu guru depois de alguma forma de iniciação. O objetivo declarado poderia ser Moksha, Nirvana, Bhakti ou simples comunhão pessoal com um poder Divino de maneira semelhante à oração. Muitos gurus outros mestres espirituais e outros líderes religiosos especialmente Hindus e Budistas ensinam que estes representam nomes diferentes para o mesmo estado transformado de consciência. No entanto essa afirmação não é feita sobre mantras que não são destinados ao crescimento espiritual e à auto realização.

Depois de longo uso de um mantra que pretende promover a auto realização ou intimidade com um poder Divino um indivíduo pode atingir um estado de Ajapa Japa. Em Ajapa Japa o mantra se repete na mente e você trabalha a sua respiração como principal fator, estados semelhantes foram alcançados por adeptos de outras tradições religiosas importantes usando orações de suas próprias tradições.

Sikhismo ou Siquismo

Japa é uma parte importante das práticas de adoração Sikh, as duas escrituras principais do Sikh abrem com seções nomeadas após o termo e estas são chamadas Japji Sahib e Jaap Sahib.

Uso do Japamala

Japamala Rudraksha Mantras são normalmente repetidos centenas ou mesmo milhares de vezes, o Mala é usado para que se possa focar no significado ou som do mantra em vez de contar suas repetições. Uma repetição é geralmente dita para cada conta enquanto gira o polegar no sentido horário ao redor de cada conta embora algumas tradições ou práticas possam exigir movimento no sentido anti-horário ou uso específico do dedo, ao chegar a conta maior chamada de Meru gira-se o Japamala e depois volta-se na direção oposta. Existem também em alguns Japas nós entre cada conta, isso faz com que o uso do Mala seja mais fácil já que as contas não ficarão apertadas e muito próximas uma da outra no fio quando usadas.

Se mais de 108 repetições forem feitas às vezes nas tradições Tibetanas os grãos de arroz são contados antes que o canto comece e um grão seja colocado em uma tigela para cada 108 repetições, cada vez que um Mala completo de repetições for completado um grão de arroz é removido da tigela. Frequentemente os praticantes acrescentam contadores extras aos seus Malas geralmente em cordas de dez, estes podem ser posicionados diferentemente dependendo da tradição, por exemplo algumas tradições colocam essas cordas depois de cada 10 cordões, esta é uma forma alternativa de acompanhar grandes números às vezes chegando a centenas de milhares e até milhões.

A 109ª conta de um Mala é chamada de Meru, Sumeru, Bindu, Stupa ou Guru, a contagem deve sempre começar com uma conta ao lado do Meru, na tradição Védica Hindu se mais de uma Mala de repetições for feita a pessoa muda de direção ao alcançar o Meru em vez de cruzá-lo.

O Meru pode ser feito em diversos materiais e é geralmente a maior conta de um Japamala, há numerosas explicações do porquê de haver 108 contas, com o número 108 tendo significado religioso especial em várias tradições Hindus e Budistas, 27 constelações x 4 Padas (partes) = 108, 12 casas do Zodíaco x 9 planetas = 108, Upanishads ou as Escrituras dos Vedas = 108. Assim, quando recitamos ou recontamos o número 108 na verdade estamos nos lembrando do Universo inteiro, Isso nos lembra do fato de que o eu Universal é onipresente ou seja a natureza inata do Eu.

Como Usar O Japamala

Pulseira Japa Mala Algumas tradições hindus afirmam que a maneira correta de usar um Mala é com a mão direita com o polegar apontando para o próximo e com a Mala sobre o dedo médio. As contas são passadas sempre para frente pois a evolução é uma constante e deve ser sempre para frente, o dedo indicador representa o ego o maior impedimento para a auto realização por isso é melhor evitar cantar em um Mala.

No Nordeste da Índia particularmente aqueles nas tradições de Shakta em Bengala Ocidental e Assam o Mala é frequentemente colocado no dedo anelar da mão direita com contas movidas pelo dedo médio com a ajuda do polegar e evitando o uso do dedo indicador, no entanto colocar o Japamala sobre o dedo médio e usar o polegar para mover as contas também é aceitável nessas regiões.

Materiais de um Japamala

Uma grande variedade de materiais é usada para fazer contas de Japa Mala, as contas feitas com as sementes da árvore Rudraksha são consideradas sagradas pelos Saivás devotos de Shiva enquanto as contas feitas da madeira da planta de Tulasi são usadas e reverenciadas pelos Vaishnavas seguidores de Vishnu. Outras contas incluem madeiras variadas ou sementes da árvore de Sândalo ou da árvore Bodhi, a mesma espécie de árvore em que Sidarta Gautama, o mais famoso de todos os Budas sentado atingiu a iluminação e ainda sementes da planta de Lótus. Algumas tradições Budistas Tibetanas pedem o uso de ossos de animais mais comumente o Yak (Iaque) sendo os dos Lamas do passado os mais valiosos. Japamala de pedra semipreciosa como Jade Malásia (verde), Olho de Tigre (marrom) e Ametista podem ser usadas também dentre outras, no Tantra Hindu assim como no Tantra Budista ou Vajrayana os materiais e cores das contas podem se relacionar com uma prática específica.

Japamala de Semente de Rudraksha

Semente da árvore de Rudraksha (Elaeocarpus ganitrus) cujo fruto se chama Rudraksha, muito comum em alguns lugares como Índia, Tibet, Indonésia e Nepal, existem várias espécies dessa semente e elas são caracterizadas pelo número de faces ou Mukhis, a de 5 faces ou Mukhis são as mais facilmente encontradas em todo o mundo, existem sementes com menos Mukhis e são extremamente raras.

Em Sânscrito "Rudra" significa "senhor Shiva" e "aksha" significa "lágrima", existem contos e histórias que dizem que as sementes foram geradas pelas lágrimas da divindade Shiva, então as sementes de Rudraksha são diretamente ligadas ao Deus Hindu Shiva. Diz a lenda que após Shiva meditar por 1.000 anos, seus olhos semi fechados não aguentaram-se mais abertos e após se fecharem derramaram uma gota que ao tocar a terra transformou-se em uma semente de Rudraksha que deu origem a todas as árvores de Rudraksha, por esta razão Shiva é comumente representada usando um Japamala de Rudraksha.

A Jungle Casa Decoração Oriental tem vários Japamalas diferentes a sua disposição.

 

 

Meu Carrinho

Continuar Comprando